Tudo sobre a Agricultura Biológica
Sexta-feira, 17.06.11

A exploração de agricultura biológica ‘Biodiversus’, instalada desde 2006 em Arcozelo, Ponte de Lima, fruto do empreendedorismo de três jovens ligados à área das ciências agrárias, foi, ontem, um dos locais que a Agrobio - Associação Portuguesa de Agricultura Biológica - fez questão de visitar, durante uma jornada em terras minhotas para promover a produção do leite e dos hortícolas na região.

Uma forma de mostrar as potencialidades do Minho quanto a este nível de exploração agrícola - já que o minifundio é predominante na divisão territorial - e que demonstra, por outro lado, o ‘sucesso’ obtido nesta vertente por parte dos jovens que decidiram aplicar os seus conhecimentos no terreno, apostando na implementação de um projecto próprio.

Jorge Barbosa, Lia Ferreira e José Sousa, são, precisamente, os rostos deste projecto inovador em Ponte de Lima - onde estudaram na Escola Superior Agrária - vindos de Braga, Barcelos e Vila Nova de Gaia - e onde decidiram ficar para sempre, arriscando a sua sorte no empreendedorismo.

“Óptimos resultados”

Até agora o projecto tem tido “óptimos resultados” garantiram ao jornal ‘Correio do Minho’ os jovens empresários, ontem, durante a visita da Agrobio. 


“No início foi um pouco complicado porque estas terras que arrendámos estavam abandonadas e mostravam níveis de PH muito baixos e também pouco grau de matéria orgânica, mas, neste momento, está a correr bem. A questão da mão-de-obra também fazia muita falta, mas, agora, já começa a aumentar e nós conseguimos fazer um aumento global da produção”, detalhou Lia Ferreira, uma das jovens empreendedoras.

Nélson Silva, representante da Agrobio, indicou a ‘Biodiversus’ como “um exemplo” na área da agricultura biológica. “Trata-se de uma exploração com grande diversidade em termos de produtos, que tem como público-alvo os consumidores finais, com o objectivo de ter alguma rentabilidade”.
Na opinião do responsável, a agricultura biológica “tem crescido nos últimos seis anos no Minho, com jovens com forma- ção na área, mas também de outras”, indicou.

“Neste caso, e precisamente para que esta aposta tenha rentabilidade, estes jovens empreendedores têm apostado numa aproximação ao consumidor final, através de mercados de rua que servem como pontos estratégicos de escoamento dos seus produtos, quer através de entregas directas ou de cabazes especiais”, referiu Nélson Silva, acrescentando que é neste género de estratégias que os empresários desta área devem investir.
A agricultura biológica está a crescer, mas há ainda muito a fazer para a “criação de novos consumidores”.

fonte;http://www.correiodominho.com/

publicado por adm às 22:55 | link do post | comentar | favorito
pesquisar neste blog
 
links