Tudo sobre a Agricultura Biológica
Domingo, 19.05.13

A feira da agricultura biológica - que arrancou sexta-feira no Largo da Restauração, na baixa do Funchal, e decorre até 24 de Maio - tem sido procurada por clientes habituais dos produtos bio mas também por turistas curiosos. A agricultura bio vai bem e recomenda-se, mas há um transtorno muito grande: a falta de água.

Na tenda da 'Semana Bio Madeira, Criar Oportunidades' - 'Organic Farming Week', para inglês ver - estão patentes quatro expositores dos produtores Margarida Neto, Fresh Bio, Conceição Brito Câmara e Quinta do Mitra.

Pelo Largo da Restauração não têm faltado os clientes habitacionais que têm procurado produtos bio como batata e hortícolas. Não tem faltado também turistas curiosos, principalmente franceses e ingleses, que vêm 'beber' informação sobre a produção de fruta exótica que não encontram nos países de origem como banana, papaia e abacate.

Os terrenos do produtor Edésio Rodrigues estão certificados para agricultura biológica há 10 anos, mas antes já cultivava procurando eliminar o máximo de pesticidades, para produzir uma agricultura 'limpa'.

“Temos contado com o incentivo do Governo Regional e optámos pela agricultura bio a 100%”, refere à reportagem do DIÁRIO o agricultor que gere perto de um hectare de castanheiros e um pomar que produz fruta regional como pero calhau, pero domingos, no Jardim da Serra. O que tem faltado, aponta, é água para regar.

“São tudo variedades regionais e poucos hortícolas porque nós somos do Jardim da Serra e há pouca água”, justificou o dono do expositor da exploração com o nome da sua mãe: Margarida Neto. Daí a opção pela cultura de sequeiro: “espigos, alho, alguma cebola, pouco mais”, refere o agricultor.

fonte:http://www.dnoticias.pt/n

tags:
publicado por adm às 15:59 | link do post | comentar | favorito
Sábado, 30.06.12

A Madeira já tem de 252 hectares de área dedicada à agricultura biológica e 109 produtores, indicadores que representam 4,6 por cento da superfície agrícola da Madeira, indicaram hoje dados da Direcção Regional de Agricultura.

A subida deste tipo de prática agrícola representa uma subida exponencial de 28,5 por cento, quando comparada com o ano de 2010.

Segundo o director regional, Bernardo Araújo, "pese embora o temporal de 2010 tenha obrigado à redução de alguns hectares em produção biológica, em 2012, esses números já foram recuperados porque a Madeira continua a possuir condições favoráveis para este tipo de agricultura", explicou.

A principal razão prende-se com as potencialidades locais, "pela diversidade da fauna e flora existentes e, acima de tudo, porque algumas das formas tradicionais de produção são muito próximas da agricultura biológica", apontou.

Nestes últimos dois anos, o número de produtores aumentou 32,9 por cento e de acordo com o responsável este crescimento é consequência "da promoção de acções de divulgação e cursos de formação, que estimularam a procura de informação complementar e especifica que é facilitada aos potenciais produtores por intermédio da elaboração de planos de conversão".

Em 2011 foram realizadas 51 acções de divulgação para cerca de 1.900 participantes e em 2012, até Junho, já se realizaram 30 acções e quatro cursos com 1.600 participantes.

Bernardo Araújo revela que nos últimos dois anos "os serviços elaboraram cerca de 100 planos de conversão para novas explorações que poderão representar mais 140 hectares destinados à agricultura biológica".

O director regional da Agricultura lembra que "os apoios à produção biológica são também específicos, de que é exemplo a majoração de 10 por cento nas taxas de ajuda a fundo perdido, no âmbito dos projectos de modernização das explorações, em que a base de apoio é de 50 por cento e os projectos bio beneficiam de 60 por cento".

Segundo este responsável, o Programa de Desenvolvimento Rural garante apoios à participação dos agricultores em regimes de qualidade dos alimentos, ressarcindo os produtores pelo investimento realizado na certificação da produção e na elaboração de rótulos.

A Madeira tem como objectivo atingir os 500 hectares em 2015.

fonte:http://www.dnoticias.pt/a

tags:
publicado por adm às 23:42 | link do post | comentar | favorito
Sábado, 19.05.12

O Governo regional tem como objectivo, no que respeita à agricultura biológica, alcançar os 500 hectares até 2015.

O director regional de Agricultura, que participou em várias iniciativas integradas no Food Revolution Day, informou ainda que, neste momento, existem cerca de cem produtores biológicos na Madeira e que outros tantos têm um projecto de conversão em mãos. Potencialmente, os 200 hectares actuais podem duplicar em breve.

O Food Revolution Day teve, hoje, duas etapas. Uma no santo da serra, outra no Funchal.

Bernardo Araújo visitou há pouco o wokshop ‘Cooking with kids’, no Funchal. Uma acção que teve grande adesão.

O governante disse, na ocasião, que os objectivos da adesão da Secretaria dos recursos Naturais ao Food Revolution Day haviam sido plenamente atingidos e passam pela sensibilização para a qualidade alimentar. No caso, quase sinónimo de biológico. “A alimentação saudável é também encontrar produtos saudáveis.”

fonte:http://www.dnoticias.pt/

publicado por adm às 21:00 | link do post | comentar | favorito
Sábado, 03.03.12

O director regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Bernardo Melvill Araújo enfatizou hoje o propósito da agricultura biológica ocupar 500 hectares em 2015.

O governante falava aos jornalistas à margem da sessão de abertuda do seminário 'Agricultura Biológica na Escola', que decorre de hoje até domingo na Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco.

Em 2011 e já este ano foram elaborados cerca de 70 projectos para novas explorações de agricultura biológica, sendo que, neste momento, este tipo de agricultura ocupa já cerca de 200 hectares de cerca de 90 produtores. Se os 70 projectos avançarem, serão ocupados mais cerca de 140 hectares.

Bernardo Melvill Araújo garantiu que o grande desafio é o de chegar a 2015 com 500 hectares. "Tudo estamos a fazer para isso", afirmou. Converter as explorações agrícolas e responder à lei da oferta e da procura são desafios a alcançar. "O mercado está a pedir mais produtos biológicos", assegurou. Neste momento produz-se quase de tudo em matéria de agricultura biológica mas a banana biológica e a horticultura estão em expansão.

O seminário sobre 'Agricultura Biológica na Escola' é organizado pelo Departamento 'Eco-Escola' da Gonçalves Zarco com o apoio de diversos parceiros.

O Seminário está creditado com um crédito para os professores de todas as áreas. A formação é dirigida a educadores de infância, professores dos ensinos básico e secundário e professores de educação especial. Ao todo inscreveram-se 120 docentes.

Bernardo Araújo realçou o facto da iniciativa decorrer numa escola. Até porque já há diversas instituições de ensino da Região com hortas escolares mas a ideia é "disseminar ainda mais as hortas escolares". Sendo que há estudos científicos que indicam que os alunos que têm contacto com hortas escolares alcançam um melhor desempenho académico, físico e social.

Em 2011, a Direcção de Agricultura fez mais de 50 acções de divulgação e de esclarecimento que abrangeu cerca de 1900 pessoas. Este ano, o programa 'Eco-escolas' dedica especial atenção à agricultura biológica. Uma boa oportunidade para conciliar o ambiente e a alimentação saudável, considerou Bernardo Araújo.

fontge:http://www.dnoticias.pt/

tags:
publicado por adm às 20:35 | link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 07.06.11

No âmbito do Plano de Actividades de Promoção e Divulgação do Modo de Produção Biológico, a Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais, lançou três concursos escolares enquadrados nas comemorações da Semana Bio Madeira 2011. Num desses concursos sobre a horta biológica a Escola EB1/PE da Sede, em Santana, acabou por vencer.
Segundo o comunicado o concurso teve como principais objectivos “divulgar a importância da Agricultura Biológica no desenvolvimento sustentado da nossa Região e despertar o interesse da comunidade escolar para a temática da Agricultura Biológica."
Para a criação da horta biológica na escola a direcção da escola do primeiro ciclo de Santana solicitou colaboração à Câmara Municipal de Santana, através da Empresa Terra Cidade EEM, para cooperação na criação de uma horta biológica, num espaço adjacente à cantina da escola. O engenheiro agrónomo desenvolveu a projecção da horta biológica que acabou por vencer este concurso a nível regional.
A confirmação deste desiderato aconteceu na passada sexta-feira. Para além da construção nesta escola da horta, foram realizadas actividades com os alunos, nomeadamente, a realização de acções de sensibilização sobre a agricultura biológica, visitas a outras hortas/explorações biológicas, actividades práticas envolvendo plantações de diversas hortícolas e respectiva manutenção. Estas iniciativas decorreram durante este ano lectivo e contaram com a participação activa dos alunos do referido estabelecimento de en sino. 

fonte:http://www.jornaldamadeira.pt/

tags:
publicado por adm às 23:22 | link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 31.05.11

Na abertura da Semana Bio Madeira, hoje, no Largo da Restauração, o secretário regional do Ambiente e Recursos Naturais, Manuel António Correia, referiu que "a agricultura biológica já é uma realidade na Madeira" e que o objectivo passa agora por consolidar o consumo e a produção, de forma a chegar aos 500 hectares em 2015.

Manuel António Correira recordou que, hoje, quem quiser pode ter produtos biológicos em casa todos os dias, já que possuem um sistema de entregas ao domicílio. "A mensagem desta semana é especialmente dedicada aos consumidores e à sociedade madeirense em geral, os produtores já fazem um excelente trabalho, têm vindo a aumentar a produção e há condições para aumentar mais, mas só o farão se houver apelo, solicitações e consumo", frisou, incentivando a escolha por produtos regionais e biológicos.

"Se houver procura, haverá aumento de produção para atingirmos o nosso objectivo de, até 2015, termos 500 hectares de agricultura biológica na Região", vincou, apontando que quem vai decidir este ponto serão os consumidores.

Durante uma semana, haverá seminários em vários pontos da ilha, o mercado no Largo da Restauração e iniciativas junto de hotéis e restaurantes. Segundo o director regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Bernardo Araújo, há hotéis que desempenham um papel importante na divulgação dos produtos biológicos, uma vez que os utilizam nas ementas que confeccionam.

fonte:http://www.dnoticias.pt/

 

tags:
publicado por adm às 22:48 | link do post | comentar | favorito
Sábado, 21.05.11

O secretário do Ambiente e Recursos Naturais da Madeira afirmou ontem que a região pretende aumentar de 215 para 500 hectares a produção de agricultura biológica, até 2015.

Referindo que se trata de um “objetivo ambicioso”, Manuel António Correia salientou que “a agricultura biológica é uma oportunidade” para os produtores madeirenses, embora esta atividade “não consiga ser competitiva numa lógica de grande quantidade”, dada a orografia e dimensão da ilha.

O governante falava na conferência de imprensa para a apresentação da Semana Bio, uma iniciativa que será desenvolvida em parceria com a Universidade da Madeira, de 30 de maio a 05 de junho.

A Semana Bio será subordinada ao tema “alimentar o futuro” e que servirá para “abordar diversas questões que dizem respeito à preparação da sociedade e agentes económicos para o desenvolvimento sustentável”.

Manuel António Correia disse ainda que “a agricultura a convencional já é, na sua pratica ancestral, muito próxima da biológica e cada vez mais os consumidores procuram estes produtos”.

Manuel António mencionou que a área da agricultura biológica na Madeira, incluindo a que está em conversão, é neste momento de cerca de 215 hectares, o que corresponde a quatro por cento da área agrícola da região.

“Temos 103 empresários ou produtores agrícolas que se dedicam a este modelo de produção e temos um objetivo ambicioso que é, até 2015, atingir cerca de 500 hectares, o que significa uma área superior a nove por cento da agricultura”, realçou.

O governante insular destacou também a importância da colaboração institucional com a Universidade da Madeira, defendendo que deve ser incrementada no futuro.

O programa da Semana Bio inclui um mercado biológico, visitas a várias explorações agrícolas, conferências, animação infantil, um piquenique, atelier de cosméticos e detergentes naturais, lanches e almoços biológicos.

fonte:http://www.correiodominho.com

tags:
publicado por adm às 19:07 | link do post | comentar | favorito
pesquisar neste blog
 
links
subscrever feeds